MESTRE BONSAI

Especialistas, somos nós.

  • FOTOS / Pictures

    Canais/Channels

  • Canal Mestre Bonsai no Youtube



  • It is a lame translation, but it is a translation :-)

  • Mestre Bonsai no Instagram
  • Procurar no site: Mestre Bonsai

  • Coloque o seu email para passar a receber uma notificação por email sempre que houverem alterações.

    Junte-se a 3.098 outros seguidores

  • Blog Stats

    • 670,811 _ Desde 10/2010
  • Fevereiro 2011
    M T W T F S S
    « Jan   Mar »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28  
  • Arquivos

  • Subscrever

  • Top Posts

  • Stat



  • Map
  • Prémios Atribuídos

Ligustrum

Posted by mestrebonsai em Fevereiro 8, 2011

 LIGUSTRUM SINENSE, L. japonicum, L. vulgare …

Alguns nomes comuns: Alfeneiro, Alfenheiro e Alfena (relacionados com o Lig. vulgare)
Existem muitas subespécies, veja no Wikipédia. Porém nunca existiu uma chamada “chinensis” ;-).

Arbusto / árvore encontrada na Europa central e Europa do Sul, Ásia, America do Norte e Continente Australiano.

De casca entre o Acinzentado e o Castanho claro. Ramos têm tendência em crescer erectos quando não treinados. Geralmente entre os 3mt e os 5mt no estado selvagem.
Dá flôr após meio do verão que crescem numa haste longa (Panícula). Têm uma fragância forte e adocicada, para atrair os insectos e garantir a polinização. Em bonsai tem menos tendência em florir devido à poda e ao facto da panícula sair do limite visual do bonsai uns 4 a 6cm, tornando-o desequilibrado, por isso existe tendência em corta-la mesmo antes de florir.
Depois de polinizada a flor dá origem a uma baga verde que escurece tornando-se preta-arroxeada no final do verão e início do outono. Cada baga contém no interior cerca de 4 sementes. Dependendo da sub-espécie de Ligustrum as bagas podem ser VENENOSAS para o ser humano se ingeridas, porém são um alimento apreciado por alguns pássaros, sendo os melros e o vulgar pardal os primeiros a come-las (em Portugal). As sementes passam pelo trato digestivo do animal e saem apenas as pequenas sementes de modo natural com os excrementos, ficando assim com uma boa base de partida para início de crescimento.

 
(Nas duas imagens em cima, Lig.japonicum)

Os ligustrum mais próximos do equador têm mais tendência em ser perenes, por evolução climática.

Muito utilizado como planta ornamental, pelos Chineses e pelos Japoneses (Lig. ovalifolium) para os seus jardins e alguns bonsai, apenas recentemente muito mais utilizados comercialmente. Utilizados também pelos Ingleses e mais intensamente pelos Franceses (Lig. vulgare “buxifolium”) nas bordaduras e separações de Jardins.
  
(Nas três imagens em cima, Lig. vulgare)
O Ligustrum vulgare é muito utilizado em Portugal, inclusive as suas bagas que são utilizadas para misturar no vinho e intensificar a sua cor.
Era utilizado pelos antigos como porta enxerto, relativamente às oliveiras (Olea).

 EM BONSAI a espécie mais utilizada é sem dúvida o

 LIGUSTRUM SINENSE (L.sinensis segundo alguns autores)

 Ambiente: Prefere climas amenos e de humidade constante. Quando exposto ao sol tem tendência em queimar os rebordos das folhas e em casos extremos, queimar totalmente a folha. Em vaso tal facto extremo é o mais comum. Pelo que se deve ter o cuidado de lhe fornecer o máximo de luminosidade possível mas evitar o sol directo durante os meses quentes ou de verão.

 Características: É a espécie mais conhecida como bonsai na Europa, devido à facilidade de a manter, bastante resistente e com brotação abundante sendo uma das espécies ideais para quem está a dar os primeiros passos na arte bonsai. É um arbusto nativo da China que pode ter 3 a 7 metros de altura. Planta de folha caduca ou semi-caduca,  no Inverno em ambientes frios tem tendência em perder uma boa parte das folhas que se tornam amarelas, principalmente se estiver no exterior. De folhas opostas, o que permite em termos de poda o aparecimento de dois novos ramos sempre que o topo de crescimento a seguir à folha é removido.
Existem sub-espécies de folha completamente verde e algumas de folha variegata, assim como existe uma sub-espécie cultivar que apresenta folha de um amarelo dourado. Deve-se manter a terra um pouco mais do que húmida no verão por ser uma espécie que absorve água com estrema facilidade e porque cria muitas raízes e muito facilmente.

 Fertilização: Fertilização em excesso queima as raízes com facilidade. Os primeiros sinais são os das folhas ganharem uma tonalidade castanha, sendo seguida por um escurecimento em casos mais extremos. É preferível fertilizar-se em quantidades mais pequenas, até porque mais alimento dá origem a novas folhas maiores.

Rega: Apesar de ser uma espécie que adora água, não é de forma alguma uma planta aquática, pelo que excessos, como pratos com água debaixo do vaso levam ao apodrecimento das raízes e à sua morte. Principalmente durante o Inverno. Deve-se manter a terra bem húmida durante todo o tempo quente e ambientes secos, e a terra apenas algo húmida (humidade-pano-torcido) durante o Inverno.
NUNCA borrifar as folhas, principalmente no interior e durante tempo frio e húmido, pois leva ao aparecimento de fungos (como o míldio) nas folha, ramos e tronco que acabam por matar o bonsai.

Transplante: Quando começa a Primavera vegetativa, até meio do Verão, nunca no Outono ou Inverno. Durante o transplante não deixar as raízes secarem. Cortar a ponta das raízes estimula a sua ramificação, por isso mais pontos de absorção de água/alimento. Gosta de solos um mais ricos em húmus mas com minerais, daí que evolui melhor em misturas de 1 (max.2) de akadama para 3 de humus, ou mais humus que akadama.
 
Poda: Para aparar apenas, corta-se o rebento da ponta que leva à ramificação. Para formação e ramificação, deve-se deixar um mínimo de 2 folhas saudáveis no ramo e cortar a cima deixando um pequeno toco. Cada par de folhas ramificará num rebento, ou seja, aparecem dois rebentos junto às folhas que ficaram. Para se dar mais volume e mais folhas, deve-se podar acima de cada par de folhas que apareça, desde que as folhas existentes tenham aberto por completo e apresentem aspecto de serem mais adultas.
 
Reprodução: Bastante fácil por estacas, tão fácil que enraíza em copos com água, porém deve-se limpar o ramo cortado deixando apenas 2 folhas, para evitar dispendios de energia.  Por semente, basta colocar em terra e cobrir. Mantém-se a terra bem húmida o que leva à decomposição da baga, a fermentação facilita a germinação das sementes.
 
Higiene: Deve-se limpar as folhas que caem na terra, acumulam fungos ao apodrecer que acabam por ser transmitidos à planta viva. Pode varrer facilmente as folhas amarelas/secas com uma vassourinha para bonsai, quer no solo, quer nos próprios ramos.
 
Treino: Por ser de crescimento muito rápido pode-se usar arame mas com muito cuidado para não ficar marcado, algo que começa a acontecer 2 a 3 semanas após colocação deste. Por esse motivo usar por exemplo ráfia, usar estacas ou amarrar pesos, são alguns dos melhores métodos.
 
 
 L.sinense variegata        /      Lig.Sinense
 
  

29 Respostas to “Ligustrum”

  1. Boa tarde, ofereceram-me um bonsai no Natal mas não o consigo regar pois a agua não é absorvida pela terra.
    que devo fazer? Já estive a ler e não é a melhor altura para trocar de vaso.

    • Que especie é?

      Pode-se mergulhar por 5min e depois retirar e regar normalmente. Depois é só não deixar a terra secar totalmente… e mergulhar não é nada bom… só em emergencias

  2. […] Bonsai de exemplo é um Ligustrum, comercial, chinês. Como digo na ficha técnica, gosta de solos ricos em húmus mas com minerais, […]

  3. francisco fernandes said

    boa tarde consegui dois pes de ligustrum, bem velho, c o tronco bem grosso, um eu já trabalhei e coloquei em um vaso, já esta desenvolvendo brotos, fiz o tronco c ucas, agora eu nçao sei bem oque fazer c os broto deixo desenvolver bem ou já inicio o trabalho dos galhos, tenho medo de iniciar o trabalho agora e perder os brotos, pois estão bem viçosos, e posso esgaçar os brotos, gostaria de ter infomações ref. desde já agradeço

  4. gostaria de saber se posso cortar as raizes de uma muda de ligustrum agora na primavera ?

  5. catarina santos said

    Olá.

    Comprei dois acer num viveiro, de espécies diferentes. Mas quando cheguei a casa e os inspecionei melhor vi que eram árvores enxertadas. Resolvi fazer um alporque acima do enxerto.
    Até agora parece estar a correr tudo bem, mas não sei se lhe hei de tirar parte das folhas para que ganhe raízes mais facilmente.
    Se possível agradecia uma opinião.
    Um deles é um acer palmatum bloodgood e o outro um acer palmatum dissectum.
    Obrigado
    Catarina

    • Algumas subespécies são enxertadas em especies mais fortes porque são de dificil manutenção, criação de raízes, saúde. Enxertam para que consiga resistir.
      Pode cortar as folhas, mas nunca menos de metade, ele precisa de folhas para a criação de raizes de modo acelerado.

      Já agora… quando criarem raiz, só deve separar se tiver raizes fortes, nessa altura pode diminuir mais folhas… devem ficar no mínimo 2 folhas completas em cada ramo.
      Outra coisa… o vermelho… pode deixar de o ser e passar a ser só verde… a planta deixa de produzir a hormona que a torna vermelha porque tem raízes próprias. Não é uma ciencia exacta mas acontece na grande maior parte das vezes

  6. João Gonçalves said

    Boa noite,

    Tenho um ligustrum “chinensis” há mais de um ano e nunca tive problemas, mas nestes últimos dias não tenho controlado as horas de exposição ao sol directo, e muitas das folhas ficaram secas e com as bordas acastanhadas…
    Gostaria de saber qual a melhor forma de resolver este problema;
    Também tenho algumas dúvida à cerca da exposição ao sol directo. Devo evita-la na totalidade ou devo procurar expô-lo ao sol por períodos controlados?
    Outra dúvida que tenho é em relação as “borrifadelas”. Nunca em situação alguma devo borrifar as folhas e troncos do bonsai?

    Aguardo resposta,
    Obrigado, João Gonçalves

  7. catarina said

    Olá.

    Preciso de ajuda para o meu Ligustrum sinense.
    Já o tenho à cerca de um ano, tem dez anos. No inicio da primavera fi.z o transplante. correu tudo bem aparentemente, e não me pareceu que se tivesse ressentido, mas de há quatro dias para cá as suas folhas começaram a ficar murchas e um pouco secas.~
    Penso que não tem relação com a rega pois não alterei a frequência, e não tem estado calor. Já o inspecionei e aparentemente não tem nenhum bichito.
    Se possível agradecia uma dica, pois não queria que ele morresse
    Obrigado.

  8. Caroline Desteffano Moura said

    As folhas do meu secaram, e ficaram pretas mas não caíram… eu tirei todas elas… agora começaram a surgir novas folhas, porém não vejo q elas estão saudáveis, elas não estão verdinhas… tenho mantido a terra úmida e não deixo em exposição direta com o sol… mas acho q meu erro foi o de molhar as folhas no dias mais quentes… tem alguma dica para que meu bonsai fique saudável novamente?? ele eh um L.sinense variegata…

    grata.

  9. Estão a cair todas as folhas do meu bonsai (da mesma espécie do artigo em cima), que faço?

    Agradeço resposta.

    Cumprimentos
    masg

  10. Sabrina said

    Olá, gostaria de saber quantos anos vive um bonsai dessa espécie.

  11. Duarte said

    Pois…Eu juntei areão de aquário mas se calhar devia ter juntado humus,né? Isto neste capitulo de misturas todos tem uma opinião diferente e para iniciantes torna-se complicado saber qual a melhor mistura, quantidades, etc, dai se recorrer muito a misturas já feitas que muitos dizem ainda para acrescentar mais qualquer coisa…
    Pergunto eu, é possível se fazer uma mistura universal para maioria dos Bonsai?

    • Sim. Areão não contém nutrientes, pelo que precisa de um solo que tenha.
      A ideia é saber que tipo de solo essa espécie gosta, que pode ver no artigo em cima no ponto TRANSPLANTE.
      Cuidado com as misturas “inventadas”, nem todas são adequadas e são propícias ao aprecimento de fungos, aos quais o bonsai não estaria exposto na natureza.

      É impossível ter-se uma mistura universal, pois o que funciona para umas espécies não funciona para outras. Porém pode-se equilibrar as medidas de humus e terra barrenta (akadama)e manter alguma margem de segurança.

      Ex. de excepção: Azalea, dão-se melhor com humus e kanuma (terra mais ácida). Nunca ficam tão saudáveis com terras alcalinas.

      • Duarte said

        Pois…

        Mas as misturas resume-se a akadama e humus e algum areão,né? Mas em vez de humus pode se colocar turfa? O areão pode ser aplicado como se compra ou convém fazer como se faz como para os aquários, ferver?

      • O areão não tem função a não ser de preenchimento, pelo que se pode evitar colocar.
        Turfa não é humus, mas pode colocar. Humus não é tão completo como a turfa.

        Nos aquários ferve-se o areão por causa de bactérias que podem atacar os peixes.
        Nas plantas essas bactérias são “inofensivas”, mas tem a desvantagem de sais que ainda possam existir.

  12. Sofia said

    Comprei um Bonsai no domingo pasado e já estava mesmo com aspecto seco, as folhas encolhidas. Estava a precisar de cuidados e como tal comprei-o. No enatnto, reguei-o e penso que o vaso é pequeno pois tem mjuitas raízes mas de dia para dia penso que está mais seco. Que devo fazer? Queria memso fazer alguma coisa pela sobrevivência do meu bonsai. Nunca tinha tido um e daí a minha dificuladade em saber o que hei-de fazer!…

    Obrigada
    Sofia

    • Eu NUNCA aconcelho a comprar bonsai (ou qualquer outra planta) nesse estado. Primeiro porque está-se a incentivar o desleixo total em cuidados básicos (como a rega) por parte dessas entidades. Depois porque o mais provável é o bonsai morrer e é dinheiro deitado fora!
      Eu peço desculpa falar assim, mas existem boas empresas a vender plantas saudáveis e continuo a ver este estilo de situação diariamente :-(´
      Bom, tentando ajudar, deve regar bastante, até todos os dias se for preciso, tem de manter a terra no mínimo húmida. Nada de sol directo, porém muita luminusidade.
      Arriscar um transplante dependeria do modo como está, só vendo.

      • Sofia said

        Muito obrigada pela sua resposta. O melhor será mesmo dirigir-se à sua loja no sábado de manhã e agradeço o seu diagnóstico vendo o bonsai.
        Posso-me dirigir à sua loja Rua António Carneiro, 450 – no sábado de manhã, por volta das 11h?

        Sofia

  13. […] Bonsai de exemplo é um Ligustrum, comercial, chinês.   Como digo na ficha técnica, gosta de solos ricos em húmus mas com […]

    • Duarte said

      Olá…

      No substrato pode se usar turfa com pedrisco?

      Cumps,

      Duarte

      • Dependendo da espécie pode. O Pedrisco é que não tem grande funçao se for daquele muito duro, e se for calcário a espécie em questão pode não gostar.
        A Turfa, desde que bem decomposta, é uma boa adição quando misturada com humus.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s