MESTRE BONSAI

Especialistas, somos nós.

  • FOTOS / Pictures

    Canais/Channels

  • Canal Mestre Bonsai no Youtube



  • It is a lame translation, but it is a translation :-)

  • Mestre Bonsai no Instagram
  • Procurar no site: Mestre Bonsai

  • Coloque o seu email para passar a receber uma notificação por email sempre que houverem alterações.

    Junte-se a 3.096 outros seguidores

  • Blog Stats

    • 658,069 _ Desde 10/2010
  • Outubro 2016
    M T W T F S S
    « Jul   Nov »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31  
  • Arquivos

  • Subscrever

  • Top Posts

  • Stat



  • Map
  • Prémios Atribuídos

“Erica japonicum” – Leptospermum scoparium

Posted by mestrebonsai em Outubro 28, 2016

Leptospermum scoparium

Leptospermum scoparium

Leptospermum scoparium – “Erica japonicum”

O Leptosperum é uma árvore Neozelandesa e Australiana que eles conhecem como sendo a “árvore do chá”. Este nome de “árvore do chá”, surgiu porque o Capitão Cook usava as folhas para fazer um chá.
Ao contrário do nome que produtores inventaram: “Erica japonicum” ela não é do Japão. Talvez por a flor se “assemelhar” ao das cerejeiras!?
Nestes países, Neozelandia e Austrália, é uma árvore/arbusto prolífico, de tal modo que costuma ser o primeiro a aparecer após uma limpeza de terreno.

leptospermum-scoparium-apple-blossomCaracterísticas: Muitos consideram arbusto porque em média atinge os 2 a 5mt e com aspecto arbustivo, mas outros consideram ser árvore porque se for reduzido a um tronco este engrossa e pode chegar aos 6mt.
Tem folha perene e geralmente só fica com as folhas amarelas em casos de stress para a planta. A folhagem é densa e as folhas têm entre 7mm e 20mm e cerca de 2mm a 6mm de largura com uma ponta curta espinhosa.leptospermum_scoparium_wiri_kelly
As flores podem ser brancas ou rosadas e têm entre 8mm e 15mm, mas raramente podem ficar maiores até uns 25mm em diâmetro.  As flores têm geralmente 5 pétalas. Começaram a aparecer recentemente alguns cultivar com mais, mas são provenientes como o nome diz de cruzamentos. Algumas, devido aos nutrientes podem variar entre as duas cores principais, mas mais interessante e mais raro é o facto de algumas serem quase Lilás.

Pestes: É propensa a ser atacada pelo escaravelho Pyronota festiva. Em Portugal aparece muitas vezes um fungo preto que pode ser evitado se não molhar os ramos nem folhas. Combate de fungos pode ser feito com calda bordalesa muito diluída.
.
Luz:
Precisa de muita luz, porém quando em vaso tem que se ter cuidado com o sol directo. É de salientar o clima da Neozelandia:
“A Nova Zelândia apresenta climas temperados, precipitações moderadamente elevadas e muitas horas de sol. Enquanto o extremo norte tem um clima subtropical durante o verão e as áreas alpinas do interior de South Island podem ser tão frias chegando a -10°C (14°F) no inverno, a maior parte do país está localizada perto da costa, o que significa temperaturas amenas.
A temperatura média da Nova Zelândia diminui conforme você viaja para o sul. Janeiro e fevereiro são os meses mais quentes e julho é o mês mais frio do ano. No verão, a média das faixas de temperatura máxima varia entre 20 a 30 ºC (70-90 °F) e no inverno entre 10 a 15 ºC (50 a 60 °F).”

(Lamento mas não tenho a fonte desta informação, encontrando, coloco)

No interior: o Leptospermum não gosta de luzes fluorescentes.


Temperatura: Não gostam de temperaturas abaixo dos 5ºC mas prefere ambientes mais frescos, entre os 10 e os 17ºC, pelo que em interiores aquecidos começará a ter problemas.

Fertilização: Aplicação de um fertilizante mais ácido mas tem que se usar uma dose muito diluída uma vez que a espécie queima facilmente (raízes sensíveis).

.

Rega: Prefere solos em “humidade-pano-torcido” constante. NUNCA se deve deixar secar o solo, é talvez a forma mais rápida de o matar! As folhas não ficam murchas e em cerca de 1h a 2hs de calor a planta morre. E não, não é possível voltar a reanimar tentando re-hidratar.
IMPORTANTE é que é muito sujeito ao apodrecimento de raízes quando existe água em excesso, como por exemplo existe um prato com água debaixo do vaso.
Não borrifar as folhas que favorecem o aparecimento de fungos.

.

Transplante: Sempre nos dias mais frios do ano. Aqui em Portugal e no norte será em fim de Janeiro.
É muito difícil transplantar a planta sem ela ficar demasiado stressada e muitas vezes até morrer! A ideia será fazê-lo de forma faseada se está a treinar para bonsai, ou seja, um pouco de cada vez e em misturas granuladas em maior quantidade que as misturas em “pó” .
Tolera qualquer tipo de solo  rico em húmus mas de preferência misturado com solo ácido.
NUNCA se transplanta nem treina se foi feita uma poda e vice-versa.
NUNCA se pode fazer uma poda de raízes mais severa, sempre pouca coisa. Basicamente faz-se transplante anual e uma vez retira-se um centímetro de um lado, outra vez um centímetro do outro, etc. Deve evitar-se descruzar as raízes.
.
Poda: Proceder de acordo com o mostrado aqui.
.
Reprodução: Durante a época de crescimento cortam-se estacas jovens com cerca de 5cm a 10cm, metade tem de ficar debaixo de terra. Se a estaca tiver madeira avermelhada vai enraizar muito mais rápido que a madeira já acastanhada. Proteja as estacas contra a secura. Um plástico por cima do vaso é boa ideia.
.
Higiene: Deve-se limpar as folhas que caem na terra, acumulam fungos ao apodrecer que acabam por ser transmitidos à planta viva. Pode varrer facilmente as folhas amarelas/secas com uma vassourinha para bonsai, quer no solo, quer nos próprios ramos.
.
Treino: A madeira é dura e racha quando torcida ou dobrada. Geralmente vai-se dobrando ao longo de vários anos até à posição desejada. Isso ou então enquanto os ramos são jovens.
Cortar atrás do grupo de folhas ou fazer desfolhagem resulta na maioria das vezes na morte do ramo.

 

Outros:
– A madeira costuma ser usada para cabos de ferramentas.
– O serrim é aromatizado e muitas vezes utilizado na carne fumada.

– O mel de abelha obtido do Leptosperum tem propriedades medicinais.
– Também se podem extrair óleos essenciais aromatizados das folhas através do método de vapor. Os óleos são potentes anti-fungicos e contêm agentes anti-bacterianos.
– O óleo pode ser esfregado em músculos doridos para ajudar a aliviar
– O chá obtido das folhas pode ser utilizado para combater problemas urinários e baixar a febre.
– Também se pode inalar o vapor do chá das folhas para ajudar a combater as constipações.
– A seiva pode ser utilizada em queimaduras para aliviar e ajudar a curar
– Alguns dizem que mascar a casca ajuda a relaxar e até a induzir ao sono
.
Sobre bonsai
É provavelmente uma das espécies mais difíceis de manter fora do país de origem. Porém, quando se aprende e consegue regar e transplantar com minimo stress para a planta é possível dar-lhe uma vida longa.

Alguns cultivar conhecidos por quem faz bonsai:

Leptospermum attenuatum; Leptospermum flavens; Leptospermum flavescens;
Leptospermum humifusum; Leptospermum laevigatum; Leptospermum myrtaceae;
Leptospermum petersonii; Leptospermum scoparium; Leptospermum scoparium ‘Kiwi’

 

SONY DSC de-paulzie-de-newzealand 3322b 2936_leptospermumkiwipg500

Guardar

Guardar

Guardar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s